quarta-feira, 25 de setembro de 2013

SÍMBOLOS MAÇÔNICO II

SÍMBOLOS MAÇÔNICO II O SÍMBOLO DO DEUS-SOL PAGÃO “O Sol era chamado pelos gregos de Olho de Júpiter e Olho do mundo; e ELE (OSÍRIS) é o Olho Que Tudo Vê das nossas Lojas... um símbolo da providência onisciente e atenta de Deus. Na maioria dos idiomas da Ásia, o olho e o Sol são expressos pela mesma palavra” [Dra. Cathy Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated, pg. 357; ênfase no original]. Veja a importância que os maçons dão à adoração ao Sol: Dessa forma, quando um ocultista vê o Sol raiado como mostrado aqui, e como no verso da declaração, está retratando o mesmo significado do Olho Que Tudo Vê, ou seja, o atento e protetor Olho da Providência — Hórus, que é Lúcifer nos mistérios egípcios. Agora, veja o autor maçom Manly P. Hall descrever melhor o significado do Sol para os pagãos e maçons: “O Sol, como supremo entre os corpos celestiais visíveis aos astrônomos da antiguidade, foi designado ao maior dos deuses e se tornou simbólico da autoridade suprema do próprio Criador. O dogma da Trindade Divina não é peculiar das teologias cristã ou mosaica, mas forma uma parte consciente das maiores religiões dos tempos antigos e modernos. Em todos os casos ele representa a forma trina de uma Inteligência Suprema. Todos os deuses da antiguidade tomavam decisões dentro do fogo solar.” [Manly P. Hall, The Secret Teachings of All Ages, pg XLIX]. Quer os maçons retratem a proteção do seu Grande Arquiteto do Universo como o Olho Que Tudo Vê ou como o disco do Sol com seus raios emanando, o significado é o mesmo. Eles acreditam que a América do Norte foi escolhida pela providência para ser a nação que levará todas as nações do mundo à Nova Ordem Mundial — o reinado do Cristo Maçônico. Assim como Elizabeth van Buren afirmou, a eleição providencial da nação americana ocorreu muitos anos antes de Colombo efetivamente navegar para encontrar o Novo Mundo, em 1492. Quem ou qual força sobrenatural elegeu essa nação? Foi o deus dos maçons e dos Cavaleiros Templários — os deuses satânicos do antigo Egito, a quem o Deus Todo-Poderoso da Bíblia trouxe a julgamento e destruiu fisicamente. TRÍSCELE OU TRÍQUETRO Qual o significado do tríscele para um ocultista? Veja a explicação da Dra. Cathy Burns: "Marilyn Ferguson, uma adepta da Nova Era, usou o símbolo do triquetro (outro nome para o tríscele) em seu livro, A Conspiração de Aquário. Ele é uma variação do número 666. Outros livros e materiais têm um desenho semelhante impresso neles, tais como os livros de David Spangler, a pessoa que enaltece Lúcifer, e The Witch's Grimoire. Como a maioria das pessoas sabe, o número 666 é o número da besta (Apocalipse 13.18) e é maligno; todavia, os ocultistas e adeptos da Nova Era amam esse número e o consideram sagrado” [Dra. Cathy Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated, pg. 242-3; ênfase no original]. Em seguida, porém, a Dra. Burns guarda a revelação mais arrasadora sobre o tríscele e o círculo em um círculo. Após mostrar essa imagem, a Dra. Burns diz: “O símbolo é usado para exorcizar espíritos malignos” [Ibidem]. Assim sendo, o tríscele envolvido por um círculo é um símbolo mágico, pois é um dos símbolos que faz os espíritos malignos obedecerem ao feiticeiro ou o mago. Consideramos que os segredos que foram cuidadosamente guardados pelas sociedades secretas durante séculos estão agora sendo subitamente divulgados amplamente para um público pouco informado e em sintonia com os valores e atitudes do ocultismo. Já que o objetivo do Anticristo é restaurar a adoração a Lúcifer na prática pública, não devemos nos surpreender ao vermos um segredo ocultista após o outro e um símbolo ocultista após o outro sendo repentinamente revelados ao público. Veja o plano satânico para o Anticristo (o Grande) restaurar os mistérios luciferianos à adoração pública: “... a Fraternidade Maçônica... é... o lar dos mistérios e o assento da iniciação. É uma organização muito mais ocultista do que pode ser notado e destina-se a ser a escola de treinamento para os vindouros ocultistas avançados. Quando o Grande vier com seus discípulos e iniciados, teremos a restauração dos mistérios” {Alice Bailey, Externalization of the Hierarchy, pg. 511]. Em outras palavras, o Grande, o Anticristo, restaurará os antigos Mistérios, os quais a Loja Maçônica preservou ao longo de muitos séculos, como a Religião da Nova Ordem Mundial. Agora, veja Alice Bailey afirmar essa verdade de forma mais sucinta: “Não há dúvida, portanto, que a obra a ser feita em familiarizar o público geral com a natureza dos mistérios é de fundamental importância neste tempo. Esses mistérios serão restaurados para a expressão exterior por meio da igreja e da fraternidade maçônica. Quando o Grande vier com seus discípulos e iniciados, teremos a restauração dos mistérios e a apresentação exotérica deles como conseqüência da primeira iniciação” [Ibidem, pg. 514]. Você compreendeu? No fim do período preparatório que levará à Nova Ordem Mundial, os maçons tomarão a liderança em “familiarizar o público geral com a natureza dos mistérios”! Chegou a hora de “familiarizar o público” com os símbolos maçônicos e ocultistas, pois o momento do Anticristo aparecer está muito próximo. A ADORAÇÃO À SERPENTE NA MAÇONARIA Veja agora o mesmo símbolo da serpente no emblema da Sociedade Teosófica, frequentemente indicada em sites maçons: Imagine nosso choque quando descobrimos que a Maçonaria adora a Serpente, exatamente como a maioria dos grupos pagãos dos últimos 5.000 anos. Estaremos citando fontes maçônicas, e mostraremos os símbolos que acompanham o texto. Como “uma figura vale mais do que mil palavras”, este artigo será outra prova “da arma fumegante” confirmando que a Maçonaria é luciferiana, conforme vimos demonstrando. Albert Pike, em seu livro monumental, Morals and Dogma, fala grandemente sobre a importância da adoração à serpente nas várias religiões pagãs de mistério da antiguidade. Ao ler sua descrição da importância da adoração à serpente, tenha em mente que Pike dogmaticamente afirmou que “a Maçonaria é idêntica aos antigos mistérios”, o que significa que os ensinos em todos os seus livros são precisamente os mesmos que os satânicos e pagãos mistérios antigos! Agora, vejamos o que escreveu Albert Pike, maçom de Grau 33, da Jurisdição Sul dos EUA. “A serpente enrolada em um ovo, era um símbolo comum para os indianos, os egípcios e os druidas. É uma referência à criação do universo” [pg 496, ensinos para o Vigésimo Quinto Grau, Cavaleiro da Serpente de Bronze]. Em vários artigos anteriores, observamos que a Maçonaria NÃO crê que o universo foi criado pelo Deus da Santa Bíblia, conforme registrado no Gênesis. Essa afirmação realmente suporta esse conceito, pois diz dogmaticamente que a serpente enrolada no ovo é um símbolo da criação do universo! Além disso, é altamente condenável que a Maçonaria venere os druidas. Não somente Pike menciona os druidas nessa frase, mas outros autores maçônicos são até mais enfáticos na admissão que a Maçonaria venera-os porque a religião de mistério do druidismo é idêntica à da Maçonaria. Veja: “... nosso modo de ensinar os princípios da nossa profissão [Maçonaria] é derivado dos druidas e nossos principais emblemas originalmente vieram do Egito” [William Hutchinson, maçom, The Spirit of Masonry (O Espírito da Maçonaria), revisado por George Oliver, Bell Publishing, publicado originalmente em 1775, pg. 195]. Albert Churchward, outro escritor maçom, diz que os maçons são “nossos druidas atuais” [Albert Churchward, Signs and Symbols of Primordial Man: The Evolution of Religious Doctrine from the Eschatology of the Anciente Egyptians (Sinais e Símbolos do Homem Primordial: A Evolução da Doutrina Religiosa a Partir da Escatologia dos Antigos Egípcios), Londres, Inglaterra, George Allen and Co. Ltd., 1913, segunda edição, pg. 189]. Outro autor maçônico, George Oliver, também observou a conexão da Maçonaria com os druidas. “Os druidas veneravam grandemente a Serpente. O grande deus Hu, era tipificado por esse réptil; e era representado pelos bardos como o 'maravilhoso Dragão-chefe, o soberano dos céus'” [George Oliver, Sign and Symbols, Nova York, Macoy Publishing and Masonic Supply Co., 1906, pg. 36]. Pelo menos, essa visão satânica da serpente e do dragão como seres idênticos é consistente com a Bíblia, pois as Escrituras dizem que ambos são símbolos de Satanás (conforme Apocalipse 12.9). Quando os autores maçônicos Pike, Hutchinson, Churchward e Oliver identificam a Maçonaria como proveniente do druidismo, essa admissão é extremamente grave. “Os maçons admiram os druidas e alguns até chegam a afirmar que a Maçonaria veio do druidismo. Logicamente, os druidas eram sacerdotes ocultistas, praticavam a astrologia, e ofereciam sacrifícios humanos” [Dr. C. Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated, (Símbolos Maçônicos e Ocultistas Ilustrados), pg. 28]. Maravilhoso. Essa afirmação significa que a Maçonaria pratica tanto a Magia Branca quanto a feitiçaria da Magia Negra. Os Iluministas praticam a feitiçaria da Magia Negra, como também o Anticristo praticará! Albert Pike então revela que outras religiões de mistério no mundo e em diferentes épocas também adoraram a serpente, de várias formas. Por exemplo: [citações tiradas do livro Morals and Dogma, pg. 496-500]. 1) “Os fenícios representavam o deus Nomu (Knepth ou Amun-Knepth) usando uma serpente”. 2) “No Egito, um sol suportado por duas víboras era o emblema de Horhat, o gênio do bem; a serpente com o globo alado era colocado sobre as portas e janelas dos templos como um deus tutelar (guardião)”. 3) Na cidade de Tiro, e na Índia, “uma serpente era enrolada no tronco de uma árvore. Píton, a Deidade Serpente, era considerada um oráculo; e o tripé em Delfos era uma serpente de ouro de três cabeças. 4) “Os portais nos templos egípcios eram decorados com o hierograma do Círculo e a Serpente”. 5) A serpente “é encontrada no templo de Naki-Rustam, na Pérsia, no arco triunfal em Beijing, China, sobre as portas do grande templo de Chaundi Teeva, em Java; nos muros de Atenas. O hierograma mexicano era formado pela interseção de duas grandes Serpentes, que descreviam o círculo com seus corpos, e cada uma tinha um cabeça humana em sua boca”. Embora possamos achar repugnante imaginar uma serpente engolindo um ser humano, descobrimos que os satanistas têm um ponto de vista diferente. Um livro sobre símbolos satânicos, chamado Magic Symbols (Símbolos Mágicos), diz que a serpente engolindo um ser humano simboliza “o processo de iniciação”. Quando um homem se preparou para obter maiores percepções sobre a natureza do reino espiritual, então se diz que é um iniciado. “Um verdadeiro iniciado é aquele que recebeu, ou adquiriu, essa sabedoria, que lhe permite ver esse facho brilhante de luz espiritual sem danificar sua visão”. O que isso tudo significa é que um homem precisa ser preparado para adorar a Satanás, pois essa adoração é contrária ao conhecimento instintivo que Deus colocou sobre ele em todos os homens. Logicamente, é exatamente isso que a Maçonaria faz. À medida em que um homem é convidado a avançar para os graus superiores, ele vai aprendendo mais e mais coisas, até que finalmente, por volta do Vigésimo Oitavo Grau [Príncipe Adepto, ou Cavaleiro do Sol], perceberá que está adorando a Lúcifer, o deus do bem. Ele foi cuidadosamente preparado para essa revelação, pois agora pode “olhar para esse facho brilhante de luz espiritual sem danificar sua visão”! 6) “Todas as cruzes celtas na Irlanda tinham serpentes entalhadas. Nos templos hindus de Burwah-Sangor, as colunas são totalmente decoradas por um emaranhado de serpentes”. 7) “Entre os egípcios, era um símbolo de Sabedoria Divina, quando estendida em seu comprimento; e com sua cauda na boca, da Eternidade”. Todos os pagãos em todas as eras usaram a serpente na adoração e a consideravam um símbolo da Sabedoria. O livro Magic Symbols, já citado, diz, “...veremos as implicações mais profundas da serpente como um símbolo da sabedoria...”. Esta figura ao lado é identificada como sendo da prática da Alquimia, uma arte que normalmente é imaginada como tentar transformar metais em ouro, mas que também tem um objetivo espiritual de alcançar a vida eterna. A propósito, este símbolo da serpente devorando sua própria cauda chama-se “Ouroboros” [pg. 11; ênfase adicionada]. O Ouroboros tem um significado mais profundo. “Essa serpente, algumas vezes chamada Ouroboros, é um símbolo do Tempo, do qual só a Sabedoria emerge. A serpente envolve os dois símbolos dos extremos da vida criada - a criança e o símbolo da morte da caveira. Entre eles, a criança e a caveira simbolizam o 'início e depois o fim'. Como um todo, o emblema pode ser interpretado como se significasse, 'No final, é meu início', ou 'O Fim é encontrado no Início', o que é aproximadamente o significado da frase em latim que aparece em volta do círculo" [Magic Symbols, ibidem]. Essas duas frases estão falando sobre a crença pagã na Reencarnação. Ofende-me o fato de os satanistas verem o mundo criado envolvido e controlado pela serpente, como mostra este Ouroboros. No entanto, a própria Bíblia diz que Satanás é o “Príncipe deste mundo”, o “príncipe das potestades do ar”, e que estará controlando este mundo ímpio até o retorno do Senhor Jesus Cristo. Este símbolo ocultista, ouroboros, possui íntima relação com a Alquimia, esta última muito apreciada pelos maçons e frequentemente citada em suas publicações. A Maçonaria compartilha essa crença que a serpente representa o tempo, como indicado pelo segundo Ouroboros? Sim, compartilha. Veja como Pike explica isso sucintamente: “A serpente em forma de anel era um símbolo bem-conhecido do tempo” [Ibidem, pg 497]. Quando Pike explica a crença espiritual dos maçons sobre a serpente, menciona o zodíaco, as abelhas e o mel. Veja. “A Virgem do zodíaco é mordida no calcanhar por Serpens, que, com Scorpio, ergue-se imediatamente atrás dela; e como o mel, o emblema da pureza e da salvação, era considerado o antídoto para a picada da serpente, assim também as abelhas de Aristeu, os emblemas da abundância da natureza, são destruídas por meio do poder da serpente, e regeneradas dentro das entranhas do Touro Vernal. O Deus-Sol é finalmente vitorioso” [Ibidem]. Observe que a Maçonaria identificou-se também com os pagãos que adivinhavam o futuro analisando as entranhas de um touro sacrificado. Isso é satanismo explícito! Assim, entre os símbolos maçônicos, vemos regularmente o símbolo das abelhas e da colméia. As colméias são comumente mostradas em sites maçônicos na Web, pois o cristianismo não utiliza esse símbolo. Mas agora, graças a Pike, sabemos. Observe também, que o mel representa “pureza e salvação”. Esse simbolismo é também uma blasfêmia, pois a Bíblia representa a pureza com o próprio Jesus, ou com a lã branca, ou com um traje branco. A salvação é representada pela cruz ou pelo próprio Jesus ressurreto dentre os mortos. No entanto, os pagãos seguem fielmente à descrição bíblica deles como “adoradores da criatura e não do Criador” (Romanos 1.25). A edição de julho de 1998 do The Scottish Rite Journal diz que a águia também era um símbolo de regeneração e do renascimento [Jim Tresner, maçom de Grau 33, "Wings of the Eagle, Wing on Our Feet", pg. 7]. Mas, outro autor maçônico voltou ao simbolismo da serpente como regeneração, ou reencarnação. [Herbert F. Inman, Masonic Problems and Queries, Londres, Inglaterra, A. Lewis. Ltd., 1987, pg. 210. Também afirmado por Charles G. Berger, Our Phallic Heritage (Nossa Herança Fálica), Nova York, Greenwich Book Publishers, pg 204]. Esta figura é de um papiro egípcio e mostra uma serpente circular. Repare também o olho. Papiro de Dama Heroub, Egito 21ª Dinastia. A Maçonaria Representa o Salvador Como uma Serpente!! AVENTAL MAÇOM Observe agora esta figura de um avental maçom. Onde está a letra G? Em seu lugar vemos uma caveira e a mesma imagem de serpente cercando o símbolo da Maçonaria. Se o suposto G realmente se referisse ao Grande Arquiteto do Universo (G.A.D.U.), como dizem, não seria estranho omiti-lo? Você pode observar o Olho Que Tudo Vê na esquerda superior, o símbolo da adoração ao sol na direita superior, e a colméia com as abelhas na parte inferior. No entanto, observe o símbolo no centro, com a caveira no centro do emblema maçônico do esquadro e do compasso. Observe que esse símbolo está envolvido por um Ouroboros, a serpente que morde sua própria cauda. Além disso, observe que dois ramos de sempre-viva estão embaixo do compasso e do esquadro; os satanistas usam a sempre-viva para representar a vida eterna. Mas, agora, vejamos o que dizem dois autores maçônicos sobre esse assunto: “A Serpente é reconhecida universalmente como um símbolo legítimo da Maçonaria” [George Oliver, Signs and Symbols, Macoy Publishing and Masonic Supply Co., 1906, pg. 36]. Agora, afinal, sabemos a verdade sobre a Maçonaria! Seu “símbolo legítimo” é a serpente. Essa é outra admissão, por esse autor maçom que a Maçonaria adora a Satanás, o Diabo (veja Apocalipse 12.9). Mas, agora, veja a admissão final de autores maçônicos que a Maçonaria adora a Satanás. “A serpente é o símbolo e protótipo do Salvador Universal, que redime os mundos dando à criação o conhecimento de si mesma e a realização do bem e do mal” [Manly P. Hall, maçom de Grau 33, The Secret Teachings of All Ages, The Philosophical Research Society Press, pg. lxxxviii]. Vamos repetir essa informação para você: "A serpente é o símbolo e protótipo do Salvador Universal, que redime os mundos dando à criação o conhecimento de si mesma e a realização do bem e do mal. Muito obrigado por essa percepção, sr. Hall; logicamente, não devemos estar surpresos, pois esse mesmo autor nos disse em seu livro, The Lost Keys of Freemasonry [As Chaves Perdidas da Maçonaria], que o maçom adequadamente preparado tinha as "energias ardentes de Lúcifer em suas mãos" [pg. 48]. Você pode imaginar essa blasfêmia? Os maçons representam o Salvador Universal do mundo como a Serpente. Não era desejado que essa informação chegasse ao conhecimento do público, pois esse livro citado foi publicado como um livro secreto. Agora você pode ver por que a Maçonaria insiste que o iniciado faça um juramento solene de nunca divulgar os segredos, sob a pena de ter sua garganta cortada e suas entranhas arrancadas para fora? Mas, Albert Pike, o maçom de Grau 33 mais reverenciado de todos os tempos tem mais blasfêmias. Veja como ele descreve o Ouroboros, o símbolo da serpente que devora sua própria cauda. “É o corpo do Espírito Santo, o Agente Universal, a Serpente que devora sua própria cauda” [Morals and Dogma, pg. 734, Ensinos para o Vigésimo Oitavo Grau, Príncipe Adepto, Cavaleiro do Sol]. Assim, a Maçonaria blasfema tanto de Jesus Cristo quanto do Espírito Santo. O que Jesus Cristo disse sobre esse tipo de situação? “Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Se alguém proferir alguma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á isso perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será isso perdoado, nem neste mundo nem no porvir." (Mateus 12.31-32). Os estudiosos da Bíblia chamam isso de Pecado Imperdoável. Isso é muito sério, pois, quando uma pessoa comete o Pecado Imperdoável, o Espírito Santo deixa de operar em seu coração, para convencê-la do pecado e tentar trazê-la ao arrependimento e à confissão, para que ela obtenha perdão por meio do sangue de Jesus Cristo. Assim, essa pessoa fica perdida, condenada. Os fatos agora estão bem claros: A Maçonaria é totalmente satânica. O SÍMBOLO DO YIN/YANG O símbolo do Yin/Yang é um dos mais usados atualmente, inclusive como logotipo de muitas empresas. “Yin/yang são considerados opostos. Yin representa eternidade, a escuridão, o feminino, o lado esquerdo do corpo, etc. Yang é seu oposto, e representa a história, a luz, o masculino, o lado direito do corpo, etc.” [Phillip G. Zimbardo e Floyd L. Ruch, Psycology and Life (Psicologia e Vida), 1977, nova edição, pg. 317]. “Yang é masculino, positivo e representado pelo sol. Yin é feminino, negativo e representado pela lua” [Paul E. Desautels, The Gem Kingdom, pg. 237]. “A origem do símbolo pode ser rastreada ao século quarto antes de Cristo, ou antes, e está identificado com as religiões filosóficas do oriente, como o confuncionismo, o budismo e o taoísmo. No mundo ocidental, tem sido adotado no simbolismo do mitos, da magia, astrologia e feitiçaria” [Claire Chambers, The SIECUS Circle: A Humanist Revolution, 1977, pg. v]. “Outro símbolo mágico antigo chamado yin/yang apareceu antes do século terceiro antes de Cristo, na China. Esse emblema tornou-se o favorito dos FEITICEIROS e místicos em todo o oriente, pois incorpora muitos significados possíveis” [Gary Jennings, Black Magic, White Magic (Magia Negra, Magia Branca), The Dial Press, pg. 50; ênfase no original]. A Maçonaria adota e usa o simbolismo do Yin/Yang? Sim, adota, mas de um modo que esconde o significado dos “profanos”. Veja o que Albert Pike escreveu. Os ladrilhos em preto e branco do piso simbolizam “o Bem e o Mal, princípios do credo egípcio e persa. É a guerra entre Miguel e Satanás... luz e sombras, que são as trevas; Dia e Noite, Liberdade e Despotismo [Morals and Dogma, pg 14]. “Os maçons também usam os dois triângulos para representar essa idéia de opostos”. No Short Talk Bulletin, um panfleto que deve ser lido nas Lojas, aprendemos que os triângulos são simbólicos do bem e do mal, do dia e da noite, o Yin/Yang chinês [Dr. C. Burns, Masonic and Occult Symbols Illustrated (Símbolos Maçônicos e Ocultistas Ilustrados), citando a publicação maçônica Short Talk Bulletin, “The Significant Numbers”, setembro de 1956, vol 34, núm 9, pg 5; também Wes Cook, op. cit., pg 34]. Você sabe o significado do piso em branco e preto no interior das Lojas Maçônicas, conforme ilustrado no avental de Washington, mostrado aqui. Agora, sabemos que representa o extremamente satânico conceito de Yin/Yang, o “favorito dos feiticeiros”. Os maçons também usam dois triângulos para representar o Yin/Yang. Portanto, a representação deles do hexagrama também retrata o Yin/Yang. Já descrevemos anteriormente a conotação sexual do hexagrama para os maçons. No entanto, a Maçonaria também ensina a crença satanista padrão sobre o símbolo do Yin/Yang. Veja: “Assim, a mônada [#1] e a díada [#2] eram o falo e o kteis dos gregos, o linga e o yoni dos hindus... e o Yin/Yang dos chineses...” [George Oliver, The Historical Landmarks and Other Evidences of Freemasonry (Os Marcos Históricos e Outras Evidências da Maçonaria), Nova York, John W. Leonard and Co., 1855, pg. 118]. “Dentro do Movimento de Nova Era atual, o símbolo Yin/Yang é usado para representar a bissexualidade e a homossexualidade. Também é usado para retratar a Adivinhação” [Dr. C. Burns, op. cit., pg 19-22]. Não se deixe enganar: a Maçonaria representa o símbolo Yin/Yang de forma um pouco diferente que a forma tradicional utilizada pelo Movimento de Nova Era, o ocultismo ou o satanismo. Ela usa o hexagrama e o piso com ladrilhos brancos e pretos; no entanto, a crença no Yin/Yang é idêntica a dos mistérios satânicos. Mas, por que devemos nos surpreender, se o próprio Albert Pike mesmo disse que “a Maçonaria é idêntica aos mistérios antigos"? O EMBLEMA DO ESQUADRO E DO COMPASSO REPRESENTA O SEXO Os autores maçônicos afirmam que o simbolismo tradicional do esquadro e do compasso da Maçonaria representa o ato sexual heterossexual. Veja como Albert Pike explica esse fato aos membros do Trigésimo Segundo Grau: “Portanto, o Compasso é o símbolo hermético da Deidade Criativa e o Esquadro simboliza a Terra, ou o Universo produtivo” [Morals and Dogma, pg. 850-51]. Portanto, os maçons vêem o compasso como o falo masculino e o esquadro como a vulva da mulher. Olhando para o emblema maçônico, você pode ver a óbvia penetração do esquadro pelas pontas do compasso. Um ponto de diferença aqui é que geralmente os satanistas invertem os papéis sexuais do Compasso e do Esquadro. No entanto, seja lá qual for o modo de olhar para isso, o Compasso e o Esquadro são considerados um símbolo do ato sexual heterossexual. O SÍMBOLO MAIS MALIGNO DE TODOS Antes de deixarmos o assunto do emblema maçônico do Compasso e do Esquadro, quero mostrar-lhe um símbolo particularmente maligno que mostra o Compasso e o Esquadro. Esta cena mostra várias imagens inegavelmente satânicas, associadas com o emblema maçônico do Compasso e do Esquadro. Primeiro, observe o hexagrama no canto esquerdo da figura. Lembre-se, o hexagrama é o mais maligno de todos os símbolos da Magia Negra. Os feiticeiros o utilizam há milhares de anos para lançar maldições; muitas pessoas já morreram por terem recebido essas maldições e feitiços. Segundo, observe o sol no alto da figura. Exatamente como faziam os antigos egípcios nos dias em que Deus os julgou por sua religião, lançando dez pragas sobre a terra do Egito, os maçons adoram ao sol em geral, e ao deus egípcio Rá, em particular. Finalmente, observe que o esquadro está fincado na Santa Bíblia embaixo. Como prova o autor cristão Ralph Epperson, em seu livro Masonry: Conspiracy Against Cristianity [Maçonaria: Conspiração Contra o Cristianismo], o maior segredo da Maçonaria não é a adoração a Satanás/Lúcifer; ao contrário, o maior segredo é que ela planeja erradicar totalmente o cristianismo, em completo cumprimento às profecias bíblicas sobre o final dos tempos! Este símbolo mostra esse objetivo perfeitamente. SEXO NO TEMPLO MAÇÔNICO - E NA ROMÃ “A loja é uma representação do templo do rei Salomão e o templo foi projetado de modo a simbolizar o corpo maternal humano, dentro do qual o candidato precisa entrar para nascer de novo. O útero e a vagina representam o pórtico do templo, os pilares do pórtico representam os trompas de Falópio, a rede, o ligamento com seus vasos sanguíneos correspondentes e a romã, o ovário e suas sementes exuberantes, os óvulos” [Rollin C. Blackmer, The Lodge and the Craft: A Pratical Explanation of the Work of Freemasonry (A Loja e a Arte: Uma Explicação Prática da Obra da Maçonaria), The Standard Masonic Publishing Co., 1923, pg 249; ênfase adicionada]. Primeiro, essa referência a “nascer de novo” não somente NÃO É bíblica, mas é blasfema e satânica. Os satanistas sempre tentaram ensinar uma falsa experiência do novo nascimento. Quando alguém no ocultismo passa pelo Ritual de Iniciação, e é erguido e puxado para fora, normalmente a partir de dentro de um caixão, é chamado de 'nascido de novo'. Observe que os maçons ensinam que uma pessoa nasce de novo por meio do templo maçônico, sem nenhuma menção ao sangue derramado de Jesus Cristo. Segundo, a representação maçônica da romã é sexualmente explícita ao extremo. Para convencê-lo do paganismo da Maçonaria, vou mostrar essa representação aqui. Você pode ver que o modo como a romã foi cortada nesta figura, parece mostrar o órgão sexual da mulher. Neste símbolo ocultista da romã, você pode ver como algo tão simples pode ser interpretado como uma representação do sexo. Essa obsessão dos maçons com o sexo é totalmente pagã e eles o representam em muitos de seus símbolos e dentro da Loja. Você pode imaginar um maçom pensando que está penetrando a vagina de uma mulher quando passa pelo pórtico do templo maçônico? É inacreditável! A TOCHA E A ESTÁTUA DA LIBERDADE Os satanistas sempre consideraram a tocha flamejante como um símbolo de Lúcifer. “Lúcifer, tendo recuperado sua estrela e seu diadema, organizará suas legiões para novas obras de criação. Atraídos pela tocha flamejante, os espíritos celestiais descerão... e ele enviará esses mensageiros de esferas desconhecidas para a Terra. Então, a tocha de Lúcifer sinalizará 'Dos Céus à Terra! -- e o Cristo da Nova Era responderá, 'Da Terra aos Céus!'” [ocultista Edourd Schure, citado por Texe Marrs, Mystery Mark of the New Age (A Marca de Mistério da Nova Era), pg. 240]. Esta explicação do simbolismo da tocha é a crença luciferiana de que, na Batalha do Armagedom, Lúcifer e suas forças derrotarão Jesus Cristo e depois invadirão e conquistarão os Céus. Assim, a tocha significa a crença que Lúcifer no final derrotará Jesus Cristo. O autor Mainly P. Hall, maçom de Grau 33, diz que “as tochas representam as artes e ciências ocultas, as doutrinas e dogmas, por meio da luz das quais a Verdade torna-se visível” [Hall, Freemasonry of the Ancient Egyptians to Which is Added an Interpretation of the Crata Repoa Initiation Rite, The Philosophers Press, 1937, pg 122]. Achamos também muito interessante que uma das principais editoras maçônicas chame-se The Torch Press [Editora Tocha]. Sabemos também pela história que a Estátua da Liberdade foi oferecida ao povo americano pelos maçons iluministas franceses em 1876. “Do alto, diante das águas que brilham, apesar de poluídas, a estátua segura com seu braço erguido uma tocha de fogo e de luz. Um presente da ordem maçônica, os modernos herdeiros da tradição Iluminista, a Estátua da Liberdade foi esculpida por Frederic Bartholdi, um membro da loja maçônica da Alsácia-Lorena em Paris, França. A estátua tem um significado importante para as sociedades secretas que estão planejando o estabelecimento da Nova Ordem Mundial” [Texe Marrs, Dark Majesty: The Secret Brotherhood and the Magic of a Thousand Points of Light, pg. 212]. O modelo da Estátua da Liberdade, mostrado na fotografia anterior, é a versão em terracota construída pelo escultor maçom em 1870. No satanismo, virtualmente qualquer símbolo perpendicular é o falo, de modo que a tocha pode ser considerada como tal; na verdade, alguém até pode imaginar, pelas explicações anteriores, que a tocha é o falo de Lúcifer, se o ocultista realmente crê que a tocha é um símbolo do deus. A deusa que segura a tocha é um bom símbolo feminino. Assim, a Maçonaria representa o ato sexual todos os dias do ano, na baia de Nova York. SEXO E O MALHETE MAÇÔNICO “O malhete é um símbolo importante na Maçonaria e na Estrela do Oriente” [Dr. C. Burns, Masonic and Occult Symbols (Símbolos Maçônicos e Ocultistas), pg. 326]. A primeira coisa que observo no símbolo do malhete é que ele sempre é mostrado de cabeça para baixo. Sempre achei que o correto seria representá-lo com a cabeça para cima. No entanto, não estamos pensando como um pagão, que adora ao sexo em todas as formas e nunca perde uma oportunidade de retratar o grande ato sexual. O autor maçônico George Oliver, diz que nos tempos antigos, o malhete representava o martelo do deus Thor [Oliver, Signs and Symbols (Sinais e Símbolos), Macoy Pubishing and Masonic Supply Co., 1906, pg. 14]. Sabemos que Thor é um antigo deus pagão, a quem os maçons veneram. Na verdade, Thor é parte da trindade pagã escadinava [Pike, Morals and Dogma, pg 552; também W. L. Wilmshurst, The Masonic Initiation (A Iniciação Maçônica), Trismegistus Press, 1980, pg. 92]. No entanto, Albert Pike facilita a identificação de Thor para nós, pois na página 15 de Morals and Dogma, diz que Thor é outro nome para Sírius, a Estrela Flamígera, ou o Pentagrama. No entanto, na página 381, também diz que Thor ERA o Sol, o Osíris egípcio, e Kneph, o Bel ou Baal fenício. A Bíblia nos diz que a adoração a Baal é idêntica à adoração ao Diabo (1º Reis 16.30-33, 22.53-54; 2º Reis 17.16). Deus condenou a adoração a Baal, ordenou que os sacerdotes e profetas de Baal fossem executados, e finalmente a exterminou totalmente de Israel (veja 2º Reis 10.23-28). No entanto, aqui, a Maçonaria afirma claramente que reverencia a Baal. Voltemos, porém, ao assunto em discussão, isto é, as conotações sexuais dos símbolos maçônicos. O autor maçom J. S. M. Ward afirma, “Assim, vemos que o martelo ou malhete, e o Tau eram originariamente os mesmos, e essa é a evolução natural dos símbolos, pois a cruz em forma de Tau evoluiu a partir do Falo, que é o símbolo de Deus, o Criador” [Ward, Fremasonry and the Ancient Gods (Maçonaria e os Deuses Antigos), 1921, pg. 238]. Os autores maçons admitirem que adoram a criatura e não ao Criador (veja Romanos 1.25), pois isso faz em milhões de pedaços suas pretenções de serem cristãos. Nessa afirmação acima, vemos uma grande blasfêmia contra Deus. Aqui, o autor maçônico diz que o Falo é um símbolo de Deus, o Criador! Em seus Dez Mandamentos, Deus deixa bem claro que não quer que o homem o represente por nenhuma criatura em todo o mundo. Em Êxodo 20, Deus dá uma lista de símbolos pelos quais não quer que o homem o represente. Embora o falo não esteja mencionado ali, é claro que Deus também não quer que o homem pense nele como um pênis! No entanto, Ward ainda não terminou com este assunto, e prosseguindo, explica o motivo pelo qual o malhete sempre é representado de cabeça para baixo. “Mas este não é o único lugar onde a cruz em forma de tau ocorre. Os malhetes são todos cruzes em forma de tau, e combinam em um símbolo o martelo, que é o sinal de autoridade, e a cruz em forma de T, o símbolo do homem ou o lado criativo da Deidade; assim, para que não haja qualquer engano, o T é colocado no avental do Mestre da Loja, embora de cabeça para baixo para ser o símbolo do esquadro e também para enfatizar o significado fálico” [Ibidem, ênfase adicionada]. Quando discutimos o Triângulo e o Hexagrama, mostramos uma cruz em forma de T, dentro de um triângulo e um círculo. Recomendamos que você reveja a figura agora. A cruz em forma de T foi originalmente criada na adoração ao deus babilônio Tamuz, que no capítulo 8 de Ezequiel é chamada de abominação. Novamente, vemos que a Maçonaria está sempre se alinhando contra Deus, e a favor do paganismo de Satanás. Apesar disso, a máquina de propaganda maçônica continua a promover a crença contrária, de que a Maçonaria é cristã. SEXO NO FINAL DO ARCO-ÍRIS MAÇÔNICO O autor maçom, George Oliver diz, “É admirável que em todos os sistemas antigos de mitologia, o Grande Pai, ou o Princípio Masculino Generativo [Falo] era uniformemente simbolizado por um ponto dentro de um círculo. Esse emblema foi colocado pelos sacerdotes e poetas escadinavos no ponto central mais alto de um arco-íris, que na fábula era a ponte que levava da terra [a Vulva Feminina] ao céus [o Falo do Grande Pai]. [Oliver, Signs and Symbols, Macoy Publishing and Masonic Supply Co., pg. 14; também em R. Swinburne, The Mysteries of Osiris or Ancient Egyptian Initiations (Os Mistérios de Osíris ou as Antigas Iniciações Egípcias, pg 185]. Um autor cristão explica essa afirmação um tanto obscura sobre a simbologia sexual do arco-íris. “Na antiga Cabala judaica os rabinos místicos ensinavam que o arco-íris representava um rito sexual. O arco nos céus era considerado o falo do deus masculino, que descia ao reino do útero da rainha ou da deusa. Acreditava-se que a união criava imensos poderes divinos” [Texe Marrs, Mystery Mark of the New Age (A Marca de Mistério da Nova Era), pg. 97]. SEXO NA CRUZ E NA COROA A maioria dos cristãos não teria dificuldades em aceitar a Cruz e a Coroa como um símbolo cristão aqui. Afinal, nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo recebeu sua coroa nos céus após sofrer a agonia da cruz. No entanto, os maçons têm um pouco mais em suas mentes do que isso; têm muito sexo em seus cérebros. No The Masonic Report, fizemos esta descoberta: “Pergunta: O que o emblema maçônico da 'Cruz e da Coroa' realmente simboliza? Resposta: A 'Cruz' da Maçonaria é uma cruz filosófica, de acordo com o livro Morals and Dogma, de Albert Pike, página 771. É filosófica no sentido que representa o princípio de fecundação generativa pela tábua perpendicular [o Falo] e a matriz do útero da natureza, o princípio produtor feminino [a Vulva], a tábua horizontal. A filosofia da cruz maçônica é totalmente fálica. A 'Cruz' desse emblema maçônico também é fálica, sendo a primeira emanação do Sefirot cabalístico...” [C. F. McQuaig, The Masonic Report, Georgia, Answer Books and Tapes, 1976, pg. 34]. Veja o que fizeram com a preciosa cruz de Jesus Cristo! Como se atrevem a torná-la em um símbolo fálico? Além disso, como se atrevem a transformar a preciosa coroa de Jesus Cristo em um símbolo fálico? Na verdade, a Cruz foi transformada em um símbolo de todo o Ato Sexual - relação heterossexual - imaginando que a tábua perpendicular seja o falo e a horizontal seja o órgão sexual feminino! Um fato a observar de passagem é que essa citação foi tirada de uma publicação maçônica oficial e recente, de 1976, e que cita Albert Pike como um autoridade maçônica. Freqüentemente, recebemos mensagens de correio eletrônico de maçons afirmando que Albert Pike está desacreditado na Maçonaria atual, e alguns até sugerem que um Albert Pike 'rebelado' escreveu Morals and Dogma e Magnum Opus. Podemos ver agora que isso é simplesmente uma mentira destinada a confundir. Certamente agora você pode ver que a Maçonaria não é cristã. Segundo, pode ver que ela é realmente “idêntica aos mistérios antigos”. Na verdade, um autor maçom teve a coragem de dizer que a Maçonaria é, realmente, uma Religião de Mistério. Veja: “Na verdade, o respeito que o maçom dá a esse número [3] sugere que nossos mistérios têm afinidades não somente com os ritos e cerimônias egípcias, mas com aqueles de muitas outras boas nações” [John T. Lawrence, The Perfect Ashlar, Inglaterra, 1912, pg. 196]. Muito obrigado, sr. Lawrence, por clarificar essa questão para nós e para todos aqueles que estão interessados na verdade. De acordo com a própria admissão deles, a Maçonaria é uma Religião de Mistérios. Toda Religião de Mistérios na história teve várias coisas em comum: 1. Servia a Satanás, abertamente, na maior parte das vezes. 2. Rejeitava o Único Deus Verdadeiro, da Bíblia. 3. Deus trouxe cada uma dessas Religiões de Mistérios ao julgamento físico. Com a Maçonaria não será diferente, mas ela receberá seu julgamento junto com o Anticristo. As perversões sexuais desses símbolos maçônicos devem convencer a qualquer pessoa que a Maçonaria não é cristã. Verdadeiramente, o final dos tempos está vindo sobre nós. Fazemos uma advertência a todas as igrejas cristãs e aos pastores que estão envolvidos na Maçonaria. “Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados, e para não participardes dos seus flagelos; porque os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou do atos iníquos que ela praticou". Essa advertência é do próprio Senhor Jesus Cristo, de modo que você deve encará-la com muita seriedade, se dá valor a sua alma eterna. Agora, vejam-se os túmulos de um dos líderes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons), Heber Kimball, e do fundador das Testemunhas de Jeová, Charles T. Russel. Heber Kimball (líder mórmon) A prova definitiva do profundo envolvimento de Russell com a piramidologia. Trata-se de seu túmulo: É absolutamente inquietante que um símbolo do deus sol egípcio, o sol, apareça no jazigo onde foram sepultados Tiago e Ellen White. Pr. Elias Ribas Postado por Pr. Elias Ribas em 22 setembro 2013 às 16:30Exibir blog

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Nordeste tem a pior seca dos últimos 30 anos

Curso prático de homilética em 10 min - Dr. Simião Campos

Missões no SERTÃO = Um desafio a TEOLOGIA DA PROSPERIDADE

Missões Mundiais - o que estamos fazendo?

Os 10 Países onde o evangelho é mais perseguido.